Saber-Literário

Diário Literário Online

CARTA PARA EGLÊ SANTOS MACHADO

Postado por Rilvan Batista de Santana 13/01/2012

CARTA PARA EGLÊ SANTOS MACHADO

Itabuna, 24.05.2011.

Querida Amiga Eglê:





Obrigado por ter lido o meu ensaio: “O homem nasce para ser feliz?...” É a primeira intelectual que tece alguns comentários sobre esse ensaio. Sua avaliação me encheu de orgulho, pois, considero-lhe uma poetisa de grandes recursos literários e intelectuais.


Porém, quero a priori, lhe dizer que não tenho nada contra a Igreja Católica, considero uma instituição de importância única na história da humanidade, todavia, não se pode negar historicamente, os seus percalços, não basta pedir “perdão”, ou reconhecer “mea culpa”, faz-se necessário mudança de atitude exegética, filosófica, política, administrativa – a igreja é a maior detentora de imóveis do planeta -, uma igreja menos dogmática, menos conservadora, mais evoluída, mais atual, uma igreja que corresponda às necessidades espirituais e temporais do homem do Século XXI.

Não li o livro: “Em nome de Deus” de David Yallop, mas li sua entrevista em que ele coloca em cheque a morte por infarto do miocárdio de Albino Luciani, o “papa sorriso” João Paulo I e desenvolve a tese de morte por envenenamento, após o papa João Paulo I descobrir integrantes da máfia e escândalos de corrupção financeira no seio de sua igreja escudado pelo Banco Ambrosiano, mais tarde, Ambrosiano Veneto.

Não se pode negar, agora, que a igreja católica dos Estados Unidos, irá pagar por perversões sexuais de padres e bispos, milhões de dólares em indenizações de pedofilia. É sabido, também, que o papa João Paulo II foi leniente, menos contundente e mais diplomático nesse processo de apuração, hoje, essas vítimas tiveram com o papa Bento XVI a força da reparação moral e material.

Como cristão não posso negar a Ressurreição de Jesus Cristo, seria um contrassenso, mas como livre pensador, questiono alguns pontos da Bíblia, inclusive, a Ressurreição de matéria corruptível: “E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então, eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel; o que ele tomou, e comeu diante deles”. (Lucas: 24: 41-43). Ora, o espírito não é matéria corruptível, não come nem bebe...

Minha amiga Eglê, nós concordamos quando achamos que Deus não irá resolver os meus e os seus problemas, as nossas desditas ou um Deus que pune, vingativo, um Deus personalizado, mas discordamos quanto à natureza de Deus, por isto, eu sugeri a teoria: “O mundo das possibilidades”, em três estágios de possibilidade: a) Necessárias, b) Contingenciais e c) Reais. Não são possibilidades de oportunidades pessoais, mas possibilidades lógicas, metafísicas e existenciais. Por isto, Eglê, sugiro-lhe um estudo isento, mais aprofundado, mesmo que o texto seja longo, afinal, não se deve desprezar as premissas e considerar somente a conclusão.

A nossa igreja nunca bateu palmas para Darwin, Galileu, Copérnico e outros gênios da humanidade que contrariaram os seus princípios, é sabido por todos, se patrocinou recente um estudo sobre a Evolução, acredito que foi por desencargo de consciência ou outros interesses, mas esses textos jamais serão inseridos na sua exegese porque contrariam o princípio da criação de Adão e Eva.

Não tenho formação teológica, não coloco em dúvida a minha fé, sou partidário do dito que diz: “Religião, política e mulher não se discute se abraça”, porém, não tenho fé ingênua nem romântica, por isto, sugerir o ensaio: “O homem nasce para ser feliz?...”, onde discuto a felicidade do homem, seus problemas existenciais, a religião, o valor da simbologia, Jesus Cristo e Deus.

Fiquei feliz querida amiga, quando li: “... essa é a frase final do texto e reflete o meu pensamento sobre o assunto símbolo”, pelo menos concordou comigo quando digo no final do Capítulo II: “Faz-se necessário dizer que essa simbologia contribui para materializar o que é transcendente”, porém, Eglê, tu não me surpreendeste como boa católica, que vai à missa todos os dias e participa da eucaristia, o uso da imagem é uma segunda natureza!...

Eu partilho do princípio do livre arbítrio, não acredito em destino nem determinismo, quando nascemos, somos “uma tabula rasa”, à medida que crescemos e amadurecemos, somos as nossas circunstâncias.

Enfim, demonstrei no ensaio “O homem nasce para ser feliz?...” – Leia-o em link nos meus textos, na coluna à direita deste blog - , argumentos e fatos que o homem, por natureza limitada, ele não nasce para ser feliz, mas para usufruir momentos de felicidade, com sua devida vênia, permita-me discordar do desfecho de sua avaliação do texto quando a poetisa diz: “E volto a afirmar: O HOMEM NASCE PARA SER FELIZ, SIM! Você pode até não perceber, mas você, Rilvan, é um homem feliz. Muito feliz!”, porém, digo-lhe: ele e ela não são felizes, mas têm momentos de felicidade!...


Do seu amigo com admiração e respeito,


Rilvan Batista de Santana

0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Tecnologia do Blogger.